Bibliografia

Lista de referências utilizadas nesta pesquisa

AGABITI, Alexandre. Personagens antípodas. Portal brasileiro de cinema.Disponível em: <http://www.portalbrasileirodecinema.com.br/mojica/ensaios/04_02.php>.

AGUILAR, Nelson (org.). Negro de corpo e alma. Catálogo de exposição. São Paulo: Brasil Connects, 2000.

ALVA, Antonio de. O livro dos exus - kiumbas e eguns. São Paulo: Editora Eco, 1967.

BAIBICH, Claudia. Pombagiras. Blog religioso. Disponível em: <http://pombagiras.blogspot.com/>.

BAIRRÃO, José Francisco Miguel Henriques. Sublimidade do mal e sublimação da crueldade: criança, sagrado e rua. Psicologia: Reflexão e Crítica.  Porto Alegre,  v. 17,  n. 1,   2004 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722004000100009&lng=en&nrm=iso>.

BAIRRÃO, José Francisco Miguel Henriques. Subterrâneos da submissão: sentidos do mal no imaginário umbandista. Memorandum. n.2, Abr. 2002. Disponível em: <http://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/artigos02/bairrao01.htm>.

BARROS, Mariana Leal de; BAIRRÃO, José Francisco Francisco Miguel Henriques. Performances de gênero na umbanda: a pombagira como interpretação afro–brasileira de “mulher”?. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. Brasil, n. 62, p. 126-145, nov. 2015. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/107220/105743>.

BAULO, María Carolina. Dueños de la encrucijada, estéticas de Exú y Pomba Gira en el Río de la Planta. AdVersuS, VI-VII, 16-17, dezembro 2009-abril 2010: p. 266-271. Disponível em: <http://www.adversus.org/indice/nro16-17/notas/24VIVII-1617.pdf>.

BIANCHETTI, Thiago Angelin Lemos. Entidades e rituais em trânsito simbólico: uma análise dos exus no contexto afro-brasileiro e nas sessões de descarrego da IURD. Dissertação de mestrado. Recife: UFPE, 2011. Disponível em: <http://repositorio.ufpe.br:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/968/arquivo5631_1.pdf>.

BIANCHIN, Victor; MOTOMURA, Marina. O que é macumba?. Mundo Estranho. Disponível em: <http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-e-macumba>.

CANDOMBLÉ - o mundo dos orixás. Disponível em: <http://ocandomble.wordpress.com/>.

CAPUTO, Stela Guedes. Exu não pode?. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/pais/moreno/posts/2009/11/23/exu-nao-pode-243603.asp>.

CARDOSO, Vânia Z; HEAD, Scott. Matérias nebulosas: coisas que acontecem em uma festa de exu. Religião & sociedade. Rio de Janeiro, v. 35, n. 1, p. 164-192, Junho 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-85872015000100164&lng=en&nrm=iso>.

CASTRO, Vinicius Vasconcelos. Tocando o falo de Exu Elegbará: subvertendo a ordem e implantando a desordem. Cadernos Imbondeiro. João Pessoa, v.2, n.1, 2012. Disponível em: <periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ci/article/download/14141/8773>. 

DRAVET, Florence Marie. Corpo, linguagem e real: o sopro de exu bará e seu lugar na comunicação. Ilha Desterro. Florianópolis, v. 68, n. 3, p. 15-25, Dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-80262015000300015&lng=en&nrm=iso>.

EXU (orixá). Wikipédia: a enciclopédia livre. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Exu_%28orix%C3%A1%29>.

FONTENELLE, Aluizio. Exu. 2ª edição. Rio de  Janeiro: Gráfica Editora Aurora, 1954. Disponível em <http://documents.tips/documents/aluizio-fontenelle-exu.html>.

HAAG, C. A força social da umbanda. Pesquisa FAPESP. São Paulo, n. 188, Out. 2012. p.85-89. Disponível em: <http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2011/10/084-089-188.pdf>.

JENSEN, Tina Gudrun. Discursos sobre as religiões afro-brasileiras - da desafricanização para a reafricanização. Trad. Maria Filomena Mecabô. Revista de Estudos da Religião - REVER. São Paulo, n.1, Jan. 2001.  Disponível em: <http://www.pucsp.br/rever/rv1_2001/t_jensen.htm>.

KIELWAGEN, Jefferson. José Mojica Marins - sexo, morte  e Nietzche. Disponível em: <http://bulhorgia.com.br/colunas_mojica.htm>.

LAGES, Sônia Regina Corrêa. Exu - luz e sombras: uma análise psico-junguiana de Exu na Umbanda. Juiz de Fora: Clio Edições Eletrônicas, 2003. Disponível em: <http://www.ufjf.br/clioedel/files/2009/10/COD03001.pdf>.  

LISBOA, Ana. Aspectos da subjetividade religiosa na arte contemporânea. Anais do 18º Encontro Nacional da ANPAP - Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas. Organização: Maria Virginia Gordilho Martins (Viga Gordilho), Maria Herminia Olivera Hernández. Salvador: EDUFBA, 2009. Disponível em: <http://www.anpap.org.br/anais/2009/pdf/cpa/ana_elizabeth_lisboa_nogueira_cavalcanti.pdf>.

LOPES, Tadeu Mourão dos Santos. Encruzilhadas da cultura: imagens de Exus e Pombajiras na Umbanda. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Artes/UERJ. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <http://www.bdtd.uerj.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=3401>.

MACEDO, Edir. Orixás, caboclos e guias: deuses ou demônios?. Rio de Janeiro: Editora Universal, 1996.

MARANHAO-FILHO, Péricles; VINCENT, Maurice B.. Neuropareidolia: diagnostic clues apropos of visual illusions. Arquivos de Neuro-Psiquiatria.  São Paulo,  v. 67,  n. 4, Dez.  2009 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-282X2009000600033&lng=en&nrm=iso>. 

MISTÉRIO Exu. Anteriormente disponível em: <http://misterioexu.blogspot.com.br>. Atualmente fora do ar.


NEGRÃO, Lísias Nogueira. Entre a cruz e a encruzilhada. Formação do campo umbandista em São Paulo. São Paulo: Edusp, 1996.

OLIVEIRA, Sidney Nilton de. Psicanálise e umbanda: a demonização do Exu como interdição simbólica e intolerância religiosa. Revista Brasileira de História das Religiões. ANPUH, Ano III, n. 8, Set. 2010. Disponível em: <http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pdf7/03.pdf>.

PORTAL da umbanda. Disponível em: <www.portalumbanda.com/>. 

PRANDI, Reginaldo. Exu, de mensageiro a diabo: sincretismo católico e demonização do orixá Exu. Revista USP. São Paulo, n. 50, 2001. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/35275/37995>.

PRANDI, Reginaldo. Herdeiras do axé. São Paulo: Hucitec, 1996.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

PRANDI, Reginaldo. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos avançados. São Paulo,  v. 18,  n. 52, Dez.  2004 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142004000300015&lng=en&nrm=iso>.

PRANDI, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1991.

PREVITALLI, Ivete Miranda. Quem não tem governo nem nunca terá: Exu e o jeitinho brasileiro. Revista Verve, n.16. São Paulo: PUCSP, 2009. Disponível em: <http://revistas.pucsp.br/index.php/verve/article/viewFile/5101/3629>.

SANT'ANNA, Márcia. Escravidão no Brasil: os terreiros de candomblé e a resistência cultural dos povos negros. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=419>.

SANTOS, Juana Elbein dos; SANTOS, Deoscoredes Maximilano dos. Èsù. Salvador: Corrupio, 2014.

SANTOS, Cristiano Henrique Ribeiro dos. Consumindo o candomblé: estudo sobre a comunicação dos objetos dessacralizados e trocas sígnicas na pós-modernidade. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação - e-Compós. Brasília, v.6, 2006. Disponível em: <http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/viewFile/87/87>.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Neopentecostalismo e religiões afro-brasileiras: Significados do ataque aos símbolos da herança religiosa africana no Brasil contemporâneo. Mana.  Rio de Janeiro,  v. 13,  n. 1, Abr. 2007 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100008&lng=en&nrm=iso>.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Exu do Brasil: tropos de uma identidade afro-brasileira nos trópicos. Revista de Antropologia. São Paulo, v. 55, n. 2 (2012). Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/59309/62347>.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Exu Brasil: o senhor de muitos nomes. Tese de Livre-docência. São Paulo: USP, 2013.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Exu - o guardião da casa do futuro. Rio de Janeiro: Pallas, 2015.

TAUFFENBACH, Leopoldo. Sincretismo digital: considerações sobre a construção de uma série de infografias impressas. Visualidades. V. 6, n.1 e 2 (2008). – Goiânia-GO: UFG, FAV, 2009. Disponível em: <http://www.revistas.ufg.br/index.php/VISUAL/article/download/18082/10782>.

TAUFFENBACH, Leopoldo. A Reconstrução de Exu: análise poética de aspectos do imaginário religioso e popular. Anais do 23º Encontro Nacional da Anpap. Belo Horizonte: Anpap, 2014. Disponível em: <https://docs.google.com/file/d/0BwdZYF_I1etjX05Id2VUR3JycjA/edit>.

TAUFFENBACH, Leopoldo. Exus de Madri: intervenções poéticas a partir de recriações baseadas no imaginário afro-latino. In: MELLO, Paulo Cezar Barboza (org). CIANTEC’16 - A Força do Terror como Inspiração Criativa: Filhos do Cotidiano Contemporâneo. Galpão IV - Fundação Marcos Amaro - Itu, 2016. Disponível em: <https://drive.google.com/file/d/0BwdZYF_I1etjTHRYc0VMcWpTSTA/view?usp=sharing>.

TRINDADE, Liana. Exu: poder e perigo. São Paulo: Ícone, 1985.

TRINDADE, Liana. Exu - símbolo e função. São Paulo: FFLCH - USP, 1979.

VALLE, Arthur. Um Mefistófeles afro-brasileiro? Considerações sobre uma extinta imagem de “Exu” do Museu da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. 19&20, Rio de Janeiro, v. XI, n. 1, jan./jun. 2016. Disponível em: <http://www.dezenovevinte.net/obras/exu.htm>.

VERGER, Pierre Fatumbi. Lendas Africanas dos Orixás. Salvador: Corrupio, 1998.

VERGER, Pierre Fatumbi. Orixás - Deuses Iorubás na África e no Novo Mundo.  Salvador: Corrupio, 1981.

Nenhum comentário:

Postar um comentário